MÉTODO DAS UNIDADES DE ESFORÇO DE PRODUÇÃO (UEP) E PRINCÍPIO DE CUSTEIO IDEAL: UMA ADAPTAÇÃO

Rodney Wernke, Ivone Junges

Resumo


O estudo objetivou identificar os procedimentos necessários para adaptar o método das Unidades de Esforço de Produção (UEP) ao princípio de custeio ideal. Foi utilizada metodologia descritiva, com abordagem qualitativa e no formato de estudo de caso. Os dados foram obtidos por meio de entrevistas informais e nos controles internos da empresa, sendo que a análise da consistência destes pôde ser realizada pelo exame dos documentos utilizados, bem como pela opinião dos gestores acerca dos resultados relacionados à equivalência dos produtos. Realizada em pequena empresa industrial, a pesquisa possibilitou concluir que o UEP permite calcular o custo de transformação pelos princípios de custeio integral (configuração inicial do método) e ideal, para o qual é necessário adicionar os procedimentos de: (i) calcular a ociosidade do mês (em UEPs e em valor monetário); (ii) determinar o custo total de transformação sem a ociosidade do período; (iii) calcular o novo valor monetário da UEP e (iv) apurar o novo valor do custo de transformação após excluída a ociosidade fabril. Assim, o estudo contribui teoricamente com a evidenciação dos passos necessários para ajustar o método UEP ao princípio de custeio ideal, o que permite utilizá-lo na Contabilidade de Custos para considerar os conceitos de capacidade teórica, normal e real.


Palavras-chave


Ociosidade, Método UEP, Princípios de custeio.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13059/racef.v12i2.767

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista de Administração, Contabilidade e Economia da Fundace

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

ISSN: 2178-7638