Transferências unilaterais em um modelo de crescimento conduzido pelas exportações: uma análise empírica para os países africanos

Júlio Fernando Costa Santos, Guilherme Jonas Costa da Silva

Resumo


Partindo do modelo de Thirlwall (1979), esse artigo tenta contribuir com o debate em torno dos modelos de crescimento restrito pelo balanço de pagamentos (BoPC). A hipótese é de que as transferências ajudam a financiar o balanço de pagamentos e o crescimento das economias mais pobres. Para tanto, pretende-se incluir no modelo de Moreno-Brid (2003) as transferências unilaterais e realizar exercícios econométricos utilizando dados dos países do continente africano do período de 2006 a 2011. Os resultados empíricos sugerem que há significância estatística da variável no modelo econométrico. Os parâmetros estimados foram utilizados e endogeneizados nas simulações computacionais. Os resultados revelam um possível estado estacionário para países que dependeram das transferências, mas passaram pela mudança estrutural e se tornaram doadores de recursos. Entretanto, aqueles países que utilizaram as transferências para crescer e não se tornam doadores de recursos, cresceram de forma contínua, já que não apresentaram um estado estacionário.

Palavras-chave


Lei de Thirlwall; Transferências Unilaterais; Mudança Estrutural; Crescimento Econômico; Países Africanos

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13059/racef.v8i1.363

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista de Administração, Contabilidade e Economia da Fundace

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

ISSN: 2178-7638