Escolhas Contábeis: Características das Companhias Brasileiras que Optaram pela Manutenção Versus Baixa da Reserva de Reavaliação

Reiner Alves Botinha, Camilla Soueneta Nascimento Nganga, Marcelo Tavares

Resumo


A presente pesquisa buscou trabalhar com as escolhas contábeis, tendo o objetivo de identificar as principais diferenças entre as características das empresas que optaram por manter versus baixar os saldos da reserva de reavaliação. A pesquisa foi feita com uma amostra de 120 sociedades abertas, com saldo de reserva de reavaliação em 31 de dezembro de 2007. Para o teste de médias das variáveis quantitativas foi utilizado o teste U de Mann-Whitney e para as variáveis qualitativas utilizou-se o teste de razão de verossimilhanças. As características das empresas analisadas foram: nível de governança corporativa, emissão de ADRs, participação dos administradores nos resultados, aplicação do deemed cost, empresa de auditoria, tamanho da reserva de reavaliação, tamanho da empresa e nível de endividamento. Como resultado, para as variáveis quantitativas verificou-se que não houve uma diferença estatisticamente significativa entre as escolhas, enquanto para as variáveis qualitativas identificou-se diferença estatisticamente significativa. 


Palavras-chave


Escolha contábil. Reserva de reavaliação. Teste de razão de verossimilhança.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13059/racef.v8i3.335

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista de Administração, Contabilidade e Economia da Fundace

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

ISSN: 2178-7638