Orientação para o mercado em ambientes usuais de empreendimento versus ambientes de inovação por incubadoras

Giuliano Alves Borges e Silva, Ian Marques Porto Linares, João Luiz Passador

Resumo


Há uma ideia coesa na literatura acadêmica de que a orientação de mercado está diretamente relacionada com o desempenho das empresas. O objetivo deste artigo é comparar a orientação para o mercado (geração e disseminação de inteligência, e capacidade de resposta) entre um grupo de empresas incubadas e um grupo empresas comuns (surgiram sem a presença de incubadoras). O estudo se justifica porque pode levantar informações que auxiliam ao aumento da lucratividade dessas empresas e à adequação de processos, tendo em vista que as incubadoras devem prover um ambiente de inovação com pesquisa e desenvolvimento, reduzindo as chances de insucesso dos empreendimentos. No total, trinta empresas participaram do estudo. O método estatístico utilizado para comparação entre os grupos foi o teste não paramétrico de Wilcoxon Mann-Whitney. Como resultado, há diferença significante indicando maior geração de inteligência e capacidade de resposta das empresas incubadas, mas não há diferença estatística na disseminação de inteligência.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13059/racef.v7i1.133

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista de Administração, Contabilidade e Economia da Fundace

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

ISSN: 2178-7638