Benchmarking de práticas de excelência através da teoria da resposta ao item

Marcos Ronaldo Albertin, Marcos Charles Pinheiro Baltazar, Heráclito Lopes Jaguaribe Pontes, Kayle Marreiro Barroso

Resumo


A Teoria de Resposta ao Item (TRI) teve a sua primeira aplicação no Brasil, em 1995, na área educacional e, deste então, tem sido utilizada em várias pesquisas na Engenharia de Produção. Este estudo, com enfoque quantitativo, compara em uma mesma escala latente a maturidade de 177 empresas cearenses participantes de 18 cadeias produtivas baseado na habilidade de implantação de 46 práticas de excelência em gestão. Objetivou-se estabelecer a cadeia benchmark cearense, o ranking de empresas por ordem de maturidade e as práticas de gestão com maiores dificuldades de serem aplicadas integralmente. Dentre os resultados destacam-se as cadeias produtivas benchmark: alimentos, metalmecânico, automotivo e exportação; ítens com maior dificuldade de implantação: padronização de unitizações voltadas para consumidor final, integração com prestadores de serviços logísticos e automatização, como robôs. O modelo utilizado mostrou-se uma ferramenta adequada na análise comparativa de cadeias produtivas.


Palavras-chave


Teoria de resposta ao item, benchmarking, cadeias produtivas, práticas de excelência

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13059/racef.v7i2.120

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista de Administração, Contabilidade e Economia da Fundace

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

ISSN: 2178-7638