Projetos & Pesquisas


INTENÇÃO DE COMPRA DOS CONSUMIDORES DE RIBEIRÃO PRETO

Julho / 2010

Categoria:

Indicadores Econômicos

Pesquisador(es):

Prof. Dr. Cláudio de Souza Miranda
Extraído de: Gazeta de Ribeirão

Clique aqui para ter acesso aos números da pesquisa.


Otimismo econômico

Economia e consumo Pesquisa mostra que consumidores de RP estão confiantes quanto ao futuro financeiro

RAISSA SCHEFFER
Gazeta de Ribeirão
raissa.lopes@gazetaderibeirao.com.br

Os consumidores de Ribeirão Preto estão mais otimistas em relação ao mercado econômico da cidade, de acordo com levantamento feito pela Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia (Fundace) em parceria com a Associação Comercial e Industrial (Acirp). Em maio, o Índice de Expectativa dos Consumidores (IEC) —que mede a perspectiva dos consumidores em uma escala de 0 a 100 pontos— foi de 81,57. Essa é a terceira alta seguida no índice, medido a cada três meses na cidade.

De acordo com os professores Jorge Caldeira de Oliveira e Claudio Miranda, diretores da Fundace e responsáveis pela pesquisa, a avaliação positiva é resultado da recuperação econômica, a após os impactos da crise internacional. “Desde agosto do ano passado, tivemos aumento no IEC, e isso mostra que as perspectivas de meses anteriores se confirmaram agora e que o mercado realmente melhorou”, disse Oliveira. “E os consumidores estão sentindo isso, pois não deixaram de comprar”, completou Miranda.

O IEC, elaborado a partir de entrevista com 492 consumidores da cidade, é composto por cinco questionamentos sobre as expectativas atuais e para os próximos seis meses no mercado. “Em relação à situação atual, a confiança é bem alta. Para os próximos seis meses, os consumidores também mostraram uma visão otimista, porém conservadora”, disse Caldeira. Para o professor Claudio Miranda, isso é resultado das notícias sobre crises ocorridas fora do País, como a da Grécia. “Como nós sofremos os efeitos de uma crise internacional há pouco tempo, existe uma certa precaução hoje. Mas o consumo não deve ser prejudicado.”

A percepção mais otimista dos consumidores entrevistados pela Fundace é sobre as condições financeiras para os próximos seis meses —68% disseram acreditar que sua família estará em melhores condições financeiras nos próximos meses. Para a auxiliar de limpeza Sandra Maria Silva, 48, é preciso ser otimista em relação ao futuro. “Se não tivermos esperança de melhora, não conseguimos comprar e nem investir em nada.”

Vestuário lidera planos

A pesquisa feita por meio da parceira entre a Fundace e a Acirp também mostrou a intenção de compras dos consumidores ribeirão-pretanos. Para esse levantamento foram entrevistadas 704 pessoas que falaram sobre as intenções de consumo de 16 produtos diferentes.

O segmento alvo das compras dos entrevistados é o de vestuário —69% das pessoas disseram que têm intenção de consumir roupas nos próximos três meses. Os calçados ficaram em segundo lugar entre a preferência de consumo dos entrevistados. Já os gastos com motos e equipamentos eletrônicos de som são os itens que estão em último plano, com 4,6% e 8,1% das intenções de compras, respectivamente. “Um setor que mostrou força, apesar de uma intenção de compras abaixo de 10%, foi o de automóveis. Mesmo com o aumento no preço por conta da volta do IPI, houve aumento na intenção no comparativo com a pesquisa passada”, disse o professor Jorge Caldeira, da Fundace. (RS)

Homens têm expectativa maior

68,7
é o Índice de Expectativa dos Consumidores do sexo feminino em Ribeirão Preto —a escala vai de 0 a 100.

89,4 é o Índice de Expectativa dos Consumidores do sexo masculino em Ribeirão Preto, segundo o Fundace.