Projetos & Pesquisas


ÍNDICE DE EXPECTATIVA DO EMPRESÁRIO • DEZEMBRO / 2009

Pesquisa mostra que 53,3% dos empresários de Ribeirão não pretendem contratar mais funcionários.

Categoria:

Indicadores Econômicos

Pesquisador(es):

Prof. Dr. Cláudio de Souza Miranda

Extraído de: Gazeta de Ribeirão

Clique aqui para ter acesso aos números da pesquisa.

Poucas contratações

Próximos seis meses Pesquisa mostra que 53,3% dos empresários de Ribeirão não pretendem contratar mais funcionários

EDUARDO ATHAYDE
Gazeta de Ribeirão
eduardo.athayde@gazetaderibeirao.com.br

Dos empresários de Ribeirão Preto, 53,3% não pretendem contratar novos funcionários nos próximos seis meses. É o que revela a pesquisa “Índice de Expectativa dos Empresários de Ribeirão Preto”, divulgada o­ntem pela Associação Comercial e Industrial da cidade (Acirp) e Fundace. A amostra, feita em dezembro, ouviu 257 empresas das áreas de comércio, serviços e indústria.

De acordo com a pesquisa, outros 3,5% dos empresários pretendem diminuir o quadro de funcionários no primeiro semestre. Já 43,2% querem aumentar a mão-de-obra. Em agosto, paralelo mais recente do estudo, a expectativa do empresariado para os seis meses seguintes seguiu rumo contrário; 77,5% disseram achar que suas empresas iriam aumentar o quadro de funcionários, 20,5% manter e 2% reduzir.

Para o presidente da Acirp, José Carlos Carvalho, a variação entre as duas pesquisas é facilmente explicável. “Em agosto, os empresários estavam vivendo a expectativa das contratações de fim de ano. Em dezembro, não”, disse.

Na opinião de Carvalho, apesar de a maioria dos empresários da cidade não demonstrar disposição para novas contratações, a avaliação geral da pesquisa é positiva. Carvalho cita como exemplo a resposta dos empresários sobre a situação da economia brasileira nos últimos seis meses. “No trimestre anterior [pesquisa de agosto], 19,7% achavam a situação boa. No mês corrente (pesquisa de dezembro), esse índice subiu para 44,4%.”

Os empresários também se mostraram mais otimistas em relação a investimentos nos próximos seis meses. Na pesquisa de agosto, 49,4% disseram que “existem planos para investimentos que provavelmente serão cumpridos”. Em dezembro, 59% dos empresários forneceram a mesma resposta.

O índice geral de expectativa dos empresários também teve elevação. Em agosto, 74,2% se diziam otimistas em relação ao futuro. Em dezembro, foram 84,2%. Segundo o professor da Fundace, Antônio Vicente Golfeto, o índice demonstra maturidade dos empresários. “Uma empresa só faz sucesso se é capitaneada por um dono otimista”, afirmou.

Difícil é encontrar profissional

Segundo a pesquisa da Acirp/Fundace, encontrar funcionários qualificados é o principal problema enfrentado pelos empresários de Ribeirão Preto. Empatados em segundo lugar aparecem a concorrência e tributos e impostos. De acordo com o diretor da Fundace, Cláudio Miranda, a pesquisa apontou que quanto maior é a empresa maior é o descontentamento do empresariado em relação à qualificação profissional. Por ter uma loja com mais de dez funcionários, o comerciante Wagner Carlucci se enquadra nas empresas de médio porte. “A maioria das pessoas que trabalha para mim está há mais de sete anos porque prefiro ficar com quem sabe fazer o serviço do que contratar gente nova sem qualificação.” O vendedor Antônio Donizete de Castro trabalha na loja de Carlucci há oito anos como vendedor e, segundo ele, por ter experiência “ é bom ficar na mesma área.”(EA).